Principais indicadores de gestão

Neste momento conturbado que vivemos, as empresas precisam ter indicadores de gestão que auxiliem os tomadores de decisão a reduzir o risco e aumentar a acuracidade, trazendo um resultado cada vez mais confiável para a organização.
Quais os indicadores mais eficazes e o que cada um demonstra?

Existem dezenas de indicadores que podem ser usados para analisar a gestão econômico-financeira de uma empresa, mas quais deles devemos usar para fazer uma análise completa?
Como sabemos, existem três vertentes para a análise econômico-financeira de uma empresa, são elas:

  1. Econômica (Rentabilidade);
  2. Financeira (Liquidez);
  3. Estrutural (Endividamento e Prazos Médios).

Uma análise completa deve observar os três grupos de indicadores para que não seja feita uma análise míope, ou seja, temos que analisar a rentabilidade para saber se a empresa está tendo resultado econômico e retornando o investimento feito pelos sócios, por outro lado, não podemos esquecer da análise financeira para verificar a capacidade de pagamento da organização e a sua necessidade e cobertura do capital de giro e, por fim, fazemos a análise estrutural, verificando como a empresa está se financiando, seja com capital próprio ou de terceiros, no curto ou longo prazo, e qual a política usada para os prazos de pagamento, recebimento e estoque que culminam nos ciclos econômico, financeiro e operacional da organização.
Ou seja, é fundamental que utilizemos um grupo de indicadores para ter uma visão sistêmica da organização e eu sugiro os 7 (sete) índices abaixo para a minha análise:

Dinâmica de Fleuriet – Nos dá uma visão completa da gestão financeira da empresa, mostrando a necessidade de capital de giro, sua cobertura e se a empresa está conseguindo gerar saldo de tesouraria, além de nos mostrar a possibilidade de estar acontecendo o temido efeito tesoura;

Endividamento Geral – Demonstra o percentual de capital de terceiros que financia o investimento feito na empresa;

Composição da Exigibilidade – Quanto desse capital de terceiros está no curto prazo? este indicador nos responde essa questão de forma clara, mostrando qual a composição do capital de terceiros no endividamento total da empresa;

Ponto de Equilíbrio – Se o Lucro é o objetivo maior de uma empresa e este indicador demonstra o momento exato em que o lucro passa a existir, ele é um dos números mais importantes que temos na análise de uma organização;

Alavancagem Operacional – Demonstra como varia o resultado econômico de uma empresa em relação as variações ocorridas no seu faturamento, ou seja, quanto maior o GAO, maior será a capacidade da empresa de gerar lucro e também o risco empresarial;

Rentabilidade do Patrimônio Líquido – Mostra qual o retorno que o investidor tem por ter colocado seu capital na empresa. É o índice mais importante pela ótica do investidor e nos dá uma visão perfeita da viabilidade da empresa;

EVA – Mostra a geração de valor para o acionista, ou seja, quanto a empresa gerou de recurso a mais que o custo do capital empregado no período.

Com todos esses indicadores é possível fazer uma análise completa e detalhada sobre tudo o que está acontecendo na empresa e o risco empresarial nas tomadas de decisão é reduzido ao máximo.
Nunca esquecendo de fazer uma análise sistêmica e da curva de tendência de cada um deles, para entender se estão dentro dos padrões do setor e ainda como vem sendo o seu comportamento no decorrer do tempo.